“O Rio Grande do Norte tem tido casos recorrentes de redes de pedofilia na internet”, afirma Rafael Motta

O tema foi discutido, nesta segunda-feira, na CPI dos Crimes Cibernéticos. A reunião, proposta pelo parlamentar, ocorreu em Natal.

05/10/2015 às 18:05:00 | 170 visualizações

Em reunião da CPI dos Crimes Cibernéticos, nesta segunda-feira (5), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, o deputado Rafael Motta (PROS-RN), que solicitou o debate, explicou que, para o bom desempenho dos trabalhos da CPI, é necessário visitar os locais onde há casos dos tipos de crimes investigados pela comissão. “O Rio Grande do Norte tem tido casos recorrentes de redes de pedofilia na internet, descobertos recentemente em ações da Polícia Federal. Essa reunião é importante porque precisamos criar formas de melhorar o combate ao crime contra a criança e o adolescente no ambiente virtual”, afirmou o parlamentar.

Segundo o juiz federal da 2ª vara do Tribunal Regional Federal, da 5ª Região, Mário Azevedo Jambo, estão entre os principais problemas enfrentados para conter esse tipo de delito a falta de ressocialização para os que cometem pedofilia, a dificuldade de se identificar o autor do crime e a legislação punitiva que, segundo ele, impera no Brasil, mas não resolve a questão. “É preciso preparar psicólogos nas escolas, para saber o que está acontecendo com as crianças. Qual a criança vai ter coragem de denunciar um pai ou a mãe? Elas precisam de um acompanhamento”, destacou o juiz.

O delegado Rubens Alexandre de França, da Delegacia Regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado, da Polícia Federal do Rio Grande do Norte, chamou atenção para estrutura da organização e disse que ela tem sido adequada para a demanda recebida. “Estamos tentando melhorar a atuação nesse âmbito de investigação através de parcerias, que já existem com a Justiça Federal e o Ministério Público. Estamos buscando fechar agora com órgãos que não são do governo, como é o caso de ONGs do exterior. Temos policiais altamente preparados para investigação de crimes de pedofilia”, disse o delegado.

A violação de direitos humanos contra crianças e adolescentes registra índice de denúncias de 63,2% no País, os dados foram apresentados pela presidente do Instituto Brasileiro de Estudos, Pesquisas e Formação para a Inovação Social (IBEPIS), Dilma Felizardo. Ela explicou que, nesse universo, a violência sexual figura entre os quatro tipos de violações mais recorrentes, registrando um índice de 25%.

“Os índices são altos, as crianças e adolescentes representam um coletivo desprotegido e o IBEPIS está à disposição da CPI para colaborar com o aprofundamento das causas. Os pedófilos precisam ou não de ajuda?”, destacou Dilma Felizardo.

Estiveram presentes na reunião várias autoridades, entre elas o deputado federal Fábio Faria (PSD), os deputados estaduais Kelps Lima (SDD), Ricardo Motta (PROS) e Márcia Maia (PSB), além de prefeitos e vereadores de municípios do Rio Grande do Norte.

Com informações da assessoria do deputado Rafael Motta

Redação PROS na Câmara

Sem tags