Valtenir Pereira homenageia idosos

“É preciso lembrar que o envelhecimento deve ser acompanhado de respeito à dignidade da pessoa humana”, afirmou o parlamentar.

05/10/2015 às 14:59:00 | 190 visualizações

Em Plenário no dia internacional do idoso, 1° de outubro, o deputado Valtenir Pereira (PROS-MT) defendeu melhorias no sistema previdenciário, ações de medicina preventiva e criação de espaços destinados ao lazer, cultura e atividades físicas para atender essa parcela da sociedade. “É preciso lembrar que o envelhecimento deve ser acompanhado de respeito à dignidade da pessoa humana”, afirmou. O parlamentar ressaltou ainda a necessidade de maior divulgação do Estatuto dos Idosos. Para ele, o País tem um estatuto “moderno e arrojado”, entretanto muitos ainda não o conhecem. “Com isso, muitos, enquanto cidadãos, deixam de exercer seus direitos na sua plenitude e isso é grave”, destacou.  

Segundo informou Valtenir Pereira, pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que, atualmente, existem cerca de 21 milhões de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos no Brasil, o que representa, aproximadamente, 11% do total da população brasileira. E, em 2025, a estimativa é que o Brasil tenha aproximadamente 32 milhões de pessoas com 60 anos ou mais de idade, alcançando a sexta colocação no ranking mundial de países mais longevos. A expectativa é que, para cada grupo de 100 jovens menores de 15 anos, haverá mais de 50 adultos com 65 anos ou mais.

“Isso é bom! Demonstra que o Brasil está cuidando melhor da saúde dos brasileiros, que a qualidade de vida melhorou nas últimas décadas. A taxa de mortalidade infantil diminuiu e a expectativa de vida aumentou. Sintomas de um novo País”, comentou.

Em relação à saúde dos idosos, o parlamentar avalia que é preciso que o governo invista na saúde biopsicossocial, com a oferta de programas multidisciplinares, e o foco voltado para a prevenção das doenças prevalentes, que acometem grande parte da população idosa brasileira.  “O objetivo dessas ações seria prevenir e garantir que a vida longa dessas pessoas seja revestida de prazer e dignidade”, disse.

O deputado afirmou ainda que vai lutar contra medidas do Governo Federal que possam atingir benefícios que impactam diretamente a população mais carente, em especial, os idosos, como, por exemplo, o desconto de 90% nos medicamentos de uso contínuo. “Contrário a essa mudança, tenho a obrigação de brigar pela manutenção do benefício, sob pena de prevaricar com meus eleitores. O Brasil não pode desistir dos seus idosos. O idoso de hoje foi o cidadão economicamente produtivo de ontem. Ele tem o sagrado direito a ser feliz”, concluiu. 

Redação PROS na Câmara

Sem tags