Ademir Camilo critica encerramento da sessão do Congresso

Em função da não realização da sessão de hoje, deixaram de ser analisados vetos da presidente Dilma Rousseff a projetos polêmicos, como o veto ao reajuste do Judiciário.

02/09/2015 às 16:44:00 | 212 visualizações

O deputado Ademir Camilo (PROS-MG) criticou, em Plenário, a estratégia do governo e de partidos da base aliada de não registrar presença nesta quarta-feira (2) na sessão do Congresso que analisaria vetos do Executivo. “Estou envergonhado pelos que fugiram da luta de enfrentar a sessão do Congresso. É uma vergonha o que fez o governo e o meu partido, pedindo para não se registrar a presença. Ganhar ou perder é da democracia. Mas há quantas semanas estamos aqui sem votar?”, questionou.

Por volta das 13h de hoje, o 1º vice-presidente do Congresso Nacional, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), encerrou a sessão conjunta da Câmara e do Senado. A decisão foi tomada após Maranhão ter aguardado 30 minutos pelo registro de presença de 257 deputados e de 41 senadores – número mínimo de parlamentares para que ocorram votações em Plenário. O quórum mínimo de deputados chegou a ser alcançado, mas os senadores não marcaram presença em número suficiente, o que levou Maranhão a encerrar os trabalhos durante a discussão do primeiro item da pauta: o Projeto de Resolução do Congresso 3/15, que amplia de 10 para 16 o número de relatorias setoriais do projeto de Lei Orçamentária Anual.

Com o encerramento da sessão, mais uma vez deixaram de ser analisados vetos da presidente Dilma Rousseff a projetos polêmicos, como o que fornece uma alternativa ao fator previdenciário – mecanismo usado para calcular a aposentadoria – e o que prevê o reajuste das remunerações do Poder Judiciário em até 78,56%. Ademir Camilo informou que já publicou o seu voto pela derrubada do veto do reajuste do Judiciário.

Redação PROS na Câmara

Sem tags