Deputados do PROS estão na lista dos Cabeças do Congresso, do Diap

Domingos Neto, Givaldo Carimbão e Miro Teixeira estão entre os parlamentares mais influentes.

31/08/2015 às 17:24:00 | 204 visualizações

Os deputados Domingos Neto (PROS-CE), Givaldo Carimbão (PROS-CE) e Miro Teixeira estão na 22ª edição da publicação divulgada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar – Diap: "Os Cabeças do Congresso Nacional", que apura a atuação dos deputados e senadores tomando como critérios atributos como “capacidade de conduzir debates, negociações, votações, articulações e formulações, seja pelo saber, senso de oportunidade, eficiência na leitura da realidade, e, principalmente, facilidade para conceber ideias, constituir posições, elaborar propostas e projetá-las para o centro do debate, liderando sua repercussão e tomada de decisão”.  O deputado Miro Teixeira (RJ) aparece entre os “Cabeças” e os deputados Domingos Neto e Givaldo Carimbão (AL) entre os “deputados em ascensão”.

Os parlamentares em ascensão são aqueles que, mesmo não fazendo parte do grupo dos 100 mais influentes, podem, mantida a trajetória ascendente, estar futuramente na elite parlamentar.  Segundo o departamento, são parlamentares que desempenham bem missões partidárias, políticas ou institucionais. Estão também nessa categoria os parlamentares que têm buscado abrir canais de interlocução, criando seus próprios espaços e se credenciando para o exercício de lideranças formais ou informais no âmbito do Parlamento.  

De acordo com a avaliação do Diap, entre os 100 parlamentares que comandam o processo decisório no Congresso, em 2015, 62 são deputados e 38 são senadores. Os dois partidos com maior número de parlamentares na elite são o PT, que tem a presidente da República, e o PSDB, maior bancada de oposição ao governo. O PMDB, embora seja o partido do vice-presidente da República e dos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal e a maior bancada na Câmara e no Senado, está na terceira posição com 12 “Cabeças do Congresso Nacional”. 

 

Redação PROS na Câmara

Sem tags