Domingos Neto espera apoio do Executivo para consórcio de perfuratrizes

O deputado, que se reuniu hoje com o ministro Aloizio Mercadante, espera que a União viabilize recursos para a aquisição das máquinas.

25/08/2015 às 21:08:00 | 175 visualizações

O líder do PROS, deputado Domingos Neto (CE), foi recebido nesta terça-feira (25) pelo Ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, para discutir o projeto que cria consórcios municipais para aquisição de máquinas perfuratrizes e o abastecimento de milho nos armazéns da Conab no Ceará. Aprovado pela Câmara dos Deputados, na última sexta-feira, o projeto de formação de consórcios para aquisição de perfuratrizes está no Senado aguardando distribuição.

O objetivo da audiência com o Ministro da Casa Civil, explicou Domingos Neto, é construir apoio no Executivo para viabilizar os recursos para a compra das máquinas, tendo em vista as dificuldades que os estados atravessam, sobretudo em consequência da prolongada seca no Nordeste. De acordo com o projeto, a União participa dos consórcios financiando os estados por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na aquisição das máquinas, que serão cedidas aos municípios mediante contrato de concessão. Além disso, o texto autoriza o Banco do Nordeste a financiar a instalação de poços artesianos para médios e grandes produtores rurais.

Conab
O parlamentar também entregou ao ministro da Casa Civil cópia da Carta do Milho do Ceará - documento produzido pela Assembleia Legislativa do estado, Secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura, Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Ceará, da Associação dos Prefeitos e de diversas associações rurais, encaminhado à presidente Dilma Rousseff - expondo as graves dificuldades dos agropecuaristas do Ceará com a interrupção do Programa Venda em Balcão. “De importância decisiva para a alimentação dos rebanhos no Ceará, o programa, entretanto, tem falhado nas quantidades e regularidade do abastecimento”, disse Domingos Neto. Segundo informou, para atender aos 65 mil agropecuaristas cadastrados na Conab é necessário o envio de 34 mil toneladas de milho por mês até março de 2016. Além disso, os agropecuaristas reivindicam também 388 mil toneladas de caroço de algodão para a manutenção de 720 mil matrizes leiteiras do estado.

Redação PROS na Câmara

Sem tags