Rafael Motta será sub-relator da CPI dos Crimes Cibernéticos

A comissão foi criada para investigar o desvio de recursos de correntistas bancários, tráfico de pessoas e pedofilia.

13/08/2015 às 16:29:00 | 148 visualizações

O deputado Rafael Motta (PROS-RN) foi indicado nesta quinta-feira (13) sub-relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Crimes Cibernéticos, criada para investigar o desvio de recursos de correntistas bancários e o tráfico de pessoas por meio da internet. O deputado será responsável pela área de crimes contra crianças e adolescentes, em especial a pedofilia.A comissão vai se basear na operação realizada pela Polícia Federal em 2014, batizada de IB2K, para desarticular uma quadrilha suspeita de desviar pela internet mais de R$ 2 milhões de correntistas de vários bancos. A quadrilha usava parte do dinheiro desviado para comprar armas e drogas. Relatório da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos aponta um crescimento, entre 2013 e 2014, de 192,93% nas denúncias envolvendo páginas na internet suspeitas de tráfico de pessoas. O relatório também mostra gastos de 15,3 bilhões de dólares com crimes cibernéticos no Brasil em 2010.

Na reunião de instalação do colegiado, Rafael Motta sugeriu à presidente da CPI, Mariana Carvalho (PSDB-RO), e ao relator-geral, Esperidião Amin (PP-SC), que também se investigue a divulgação de imagens de pessoas acidentadas e de cenas de violência extrema, “casos que vemos diariamente na rede mundial”. Também presente à reunião, o líder do PROS, Domingos Neto (CE) destacou as prerrogativas de inquérito da CPI e defendeu que a comissão busque a Polícia Federal e seja instrumento de auxílio do Ministério Público e do Poder Judiciário para chegar efetivamente aos culpados por esses tipos de crimes.

Redação PROS na Câmara

Sem tags