Rafael Motta presta conta dos primeiros meses de mandato

O parlamentar destacou sua atuação nas comissões de Turismo e Educação e a importância da transposição do Rio São Francisco para amenizar a seca que atinge o Rio Grande do Norte.

20/07/2015 às 15:29:00 | 204 visualizações

Em Plenário, na quinta-feira (16), o deputado Rafael Motta (PROS-RN) prestou contas dos seus primeiros seis meses de mandato federal, destacando a sua atuação como integrante das comissões de Turismo e de Educação e a importância da transposição do Rio São Francisco para amenizar a seca que atinge o Rio Grande do Norte. O parlamentar informou que 90% dos municípios do estado se encontram em estado de calamidade com a problemática da seca.

 “Nada mais justo do que cobrar atitudes efetivas e enérgicas do governo, da presidência da República e do governo estadual. Não se pode mais investir apenas 1,5 milhão de reais em poços tubulares. É preciso adotar medidas efetivas, como, por exemplo, a transposição do Rio São Francisco e também outras medidas que venham a acalentar o nosso sertanejo”, afirmou.

Na educação, Rafael Motta ressaltou o Projeto de Lei 1321/11, que cria o Fundo Nacional Pró-Leitura, do qual ele foi relator. Segundo o deputado, 75% dos brasileiros são classificados como não leitores plenos, aqueles que não têm capacidade de ler, interpretar e reproduzir aquilo que leem. “A criação do fundo vai trazer e modificar esses dados, tirar o Brasil da 55ª posição no ranking mundial de leitura e colocá-lo entre os primeiros”, comentou.

Outra preocupação do parlamentar é aprovar, o mais breve possível, a proibição de inauguração de obras que não estejam acabadas. “Não me furto ao meu papel como legislador, por isso estou trazendo para esta Casa um projeto que impede que obras sejam inauguradas sem estarem concluídas. O nosso objetivo é impedir que governos, seja federal, estadual ou municipal, usem essas obras única e exclusivamente como marketing”, argumentou. 

Redação PROS na Câmara

Sem tags