Givaldo Carimbão avalia que modelo de segurança e sistema carcerário estão falidos

Em discurso em Plenário, o deputado destacou que o País deve discutir novas fórmulas no setor de segurança, e não apenas discutir orçamento para manter presídios.

07/05/2015 às 14:58:00 | 223 visualizações

O deputado Givaldo Carimbão (PROS-AL) voltou a criticar em Plenário o modelo de segurança e o sistema carcerário brasileiros. Como lembrou o parlamentar, o Brasil há 40 anos tinha 90 milhões de habitantes e cerca de 30 mil presos. Hoje, com uma população de 200 milhões de habitantes, um crescimento de 111%, a população carcerária ultrapassa os 600 mil. “Temos que ter capacidade de encontrar novas fórmulas e meios para o sistema de segurança, porque o atual está, nitidamente, falido”, avaliou, ao destacar que um preso no Brasil custa diretamente R$ 3,7 mil.

No caso da ressocialização de jovens, o custo chega a R$ 12 mil por mês. “O dinheiro que era para ser gasto na educação e na saúde está indo, lamentavelmente, pelo ralo, em razão da incompetência de um modelo falido. E parece que só se discute orçamento, dinheiro. Como ninguém está encontrando novos caminhos e fórmulas?”, questionou. Para o parlamentar, reproduzir o senso comum no enfrentamento da questão é mediocridade, “e nós estamos aqui não para sermos medíocres, mas para apresentarmos novas propostas”.

Redação PROS na Câmara

Sem tags