Causas da poluição precisam ser investigadas, afirma Dr. Jorge Silva

Segundo o deputado, a exploração do minério de ferro na região é uma atividade importante, mas que não pode trazer danos para a sociedade.

16/04/2015 às 18:14:00 | 324 visualizações

O deputado Dr. Jorge Silva (PROS- ES), em Plenário nessa quarta-feira (15), ressaltou a importância de se estabelecer uma boa relação entre poluição e desenvolvimento.  Para ele, a exploração do minério de ferro no Espírito Santo pode ser considerada uma atividade econômica importante, mas que não pode trazer danos para a sociedade, por isso é preciso adotar medidas que previnam a população de doenças causadas pela emissão de poluentes. “A qualidade do ar no estado está muito baixa, atentando severamente contra a saúde da população. Por isso, é imprescindível identificar as causas da poluição para combatê-la e providenciar a reparação do dano já causado,” afirmou.

Dr.Jorge Silva informou que pesquisa elaborada pela Universidade Federal do Espírito Santo aponta que os poluentes liberados no ar da região da Grande Vitória elevam em até 10% a probabilidade de uma criança ter problemas de saúde. “O Pó Preto, poluente resultante da exploração do minério de ferro, agrava alguns quadros de doenças respiratórias”, explicou. De acordo com o deputado, o último estudo sobre o assunto, chamado DNA do Pó, foi publicado em 2011, mas não concluiu a contribuição de cada mineradora para o quadro geral de poluentes emitidos.  

O parlamentar destacou que apesar da importância dos estudos, existem conflitos de interesses que dificultam a investigação sobre a poluição. “A empresa Ecosoft, por exemplo, contratada para fazer a análise também presta serviço para as empresas poluidoras”. Além disso, acrescentou, essas organizações realizaram expressivas doações para financiar várias campanhas eleitorais no estado.

Dr. Jorge lembrou ainda que a poluição não atinge apenas o ar, mas também o solo e a água da região da Grande Vitória (ES). “Não se trata de agravante com pouca importância, sobretudo quando se considera que o Sudeste vem passando por crise hídrica que tem como uma de suas causas a alta poluição de parcela da água que poderia ser consumida”.

 

Redação PROS na Câmara

Sem tags