Domingos Neto defende nota mínima para o FIES

“A meritocracia deve sim fazer parte disso. O grande beneficiado deve ser o estudante”, afirmou.

25/03/2015 às 21:46:00 | 222 visualizações

O líder do PROS, Domingos Neto (CE), participou, nesta quarta-feira (25), de comissão geral sobre o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O parlamentar defendeu alguns critérios do governo relativos ao fundo, como, por exemplo, a nota mínima.  “É uma necessidade. Estamos falando de financiamento, mas a juros subsidiados do governo. A meritocracia deve sim fazer parte disso. O grande beneficiado deve ser o estudante”, afirmou.

O limite no reajuste das mensalidades também é justo, na opinião de Domingos Neto, uma vez que houve “uma evolução nos custos das faculdades privadas do País”. Por outro lado, ele disse que os critérios de renda devem ser mais rigorosos, a fim de que o maior beneficiário seja o estudante que não consegue pagar uma faculdade privada.

O parlamentar ressaltou ainda a necessidade da criação de critérios específicos para cursos que sejam estratégicos para o Brasil. “É verdade que a medicina não pode passar pela mesma regra dos outros cursos. Por isso, devemos ter critérios de financiamento, de renda e de nota diferenciada para alguns cursos”, explicou.  

O debate discutiu alterações promovidas pelo governo no Fies. Para este ano, entre outras medidas, o governo estabeleceu um limite de até 6,4% para o reajuste das mensalidades de cursos financiados pelo programa. Aumentos maiores que estes deverão ser revistos. As mudanças levaram alunos a terem dificuldade de renovar seus contratos.

O ministro interino da Educação, Luiz Cláudio Costa, disse que, se for necessário, o governo vai prorrogar o prazo para renovação de contratos do Fies, que termina em 30 de abril. “Os problemas levantados estão resolvidos. Existe o compromisso do governo federal de aditar todos os 1,9 milhão de contratos. Na data de hoje, 1,2 milhão já o fizeram. De que crise estamos falando? Pra que fila em porta de faculdade se temos prazo até 30 de abril? Todos estarão em sala de aula”, disse o ministro.

Ele lembrou ainda que uma comissão técnica formada pelo governo nesta terça-feira (24) analisará aumentos de mensalidades e deixou claro que os abusos não serão acatados. “Acataremos os aumentos maiores se forem para benefício do estudante. Agora, aumentos abusivos nós não acataremos".

Com informações da Agência Câmara. 

Redação PROS na Câmara

Sem tags