Joaquim Levy participa da reunião de líderes da base aliada

Para o líder do PROS, a participação do ministro na reunião mostrou que o Governo está aberto a um diálogo com o Congresso.

24/03/2015 às 17:23:00 | 123 visualizações

O líder do PROS, Domingos Neto (CE), destacou a participação do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na reunião de líderes da base aliada com o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas, nesta terça-feira (24), no Palácio do Planalto.  Durante o encontro, Levy explicou detalhes das medidas do ajuste fiscal que serão analisadas pelo Legislativo e falou da importância da sua aprovação para o enfrentamento da crise no Brasil. “A participação dele na reunião mostrou que o Governo está aberto a um diálogo com o Congresso. Não foi só uma palestra. Ele discutiu e se colocou à disposição dos líderes", afirmou o deputado.

Segundo Domingos Neto, Levy recebeu com otimismo a decisão da agência de avaliação de risco S&P de manter o grau de investimento da economia brasileira. "O ministro considerou essa classificação muito importante para que o Brasil possa investir com segurança no seu desenvolvimento", explicou.

O ministro Pepe Vargas esclareceu ainda que não há chance de a presidente Dilma Rousseff voltar atrás nas medidas do ajuste fiscal, conforme matéria publicada pelo jornal O Estado de São Paulo. “Todos os líderes compreenderam a importância das iniciativas para o ajuste da economia e se comprometeram a levar as propostas do governo às suas bancadas”, comentou Domingos Neto.

Salário Mínimo
Além das medidas do ajuste fiscal, os líderes discutiram a pauta de votação da semana na Câmara dos Deputados, entre elas, a análise das emendas e dos destaques ao projeto de lei que prorroga até 2019 a atual política de valorização do salário mínimo. Uma das emendas tenta aplicar a regra de reajuste para as aposentadorias. O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), sugeriu que o Executivo editasse uma Medida Provisória, em vez de votar as emendas. Segundo Pepe Vargas, o Governo se mostrou favorável à ideia, uma vez que, com a MP, as garantias previstas na norma produziriam efeitos imediatos e seria possível incluir as previsões orçamentarás da política na LDO. Pela proposta do PMDB, o texto seria retirado de pauta e os benefícios aos aposentados seriam discutidos em outro momento. Os líderes aprovaram a proposta.

Redação PROS na Câmara

Sem tags