Dr. Jorge Silva registra os 470 anos do municí­pio de São Mateus (ES)

O deputado citou as belezas naturais e históricas da cidade, além dos esforços para o desenvolvimento econômico da região.

12/09/2014 às 12:00:00 | 204 visualizações

Dr. Jorge Silva (PROS-ES) registrou, em Plenário, o aniversário de 470 anos do município de São Mateus, o segundo mais antigo do Espírito Santo, onde o parlamentar nasceu e atuou como médico, secretário de Saúde e vereador. O deputado lembrou que a cidade surgiu em 1544, no princípio da colonização do país. Originalmente, chamava-se Povoado do Cricaré. Alguns anos mais tarde, por iniciativa do padre Anchieta, a localidade acabou sendo rebatizada com o nome atual, em 21 de setembro.

O parlamentar citou a beleza natural das praias da região, como as de Guriri e Barra Nova; os registros históricos da cidade, ainda visíveis no casario do porto, na antiga Casa de Câmara e Cadeia (hoje Museu Histórico Municipal), nas ruínas da Igreja Velha; e, finalmente os esforços de dinamização da economia local, a partir da exploração e produção de petróleo e da atividade de empresas responsáveis pela geração de emprego e renda.

“Mas o que São Mateus apresenta de melhor é a sua gente, em larga medida, fruto da miscigenação dos índios guerreiros aimorés, dos desbravadores portugueses, dos trabalhadores africanos escravizados e, mais tarde, dos imigrantes italianos. Apesar de entrelaçadas e totalmente integradas, essas etnias conservaram muito de sua identidade, o que é comprovado no presente pela atuação de dezenas de grupos artísticos e religiosos de tradição africana, como o ticumbi, o jongo, a marujada, o congo e demais manifestações derivadas da resistência ao sistema escravista”, relatou.

Segundo o deputado, parte importante dessas lutas do passado está na formação de quilombos na região norte do município. A presença de ex-escravos em toda a área deram a São Mateus “o inestimável legado de ser hoje a cidade com a maior população negra do Espírito Santo”.

Redação PROS na Câmara

Sem tags