Líder do PROS apoia PEC do Estado de Emergência

“A população brasileira deve estar aplaudindo hoje esta iniciativa, e os deputados que realmente representam o interesse do povo brasileiro estarão a favor da votação desta PEC”, afirma a líder do PROS, deputada Aline Sleutjes.

13/07/2022 às 17:16:07 | 210 visualizações

Em Plenário nesta quarta-feira (13), a líder do PROS, deputada Aline Sleutjes (PR), ressaltou a necessidade de aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 15/22). Para a parlamentar, a matéria traz alternativas para aqueles que estão começando a se reerguer em um período pós-pandemia. Em seu discurso, a líder também defendeu o aumento do Auxílio Brasil e destacou a importância das políticas públicas estabelecidas pelo Governo Federal durante os últimos anos.

“Esta PEC, hoje, representa um grande pacote de melhorias para aqueles que acabaram de passar por muitas dificuldades. É o caso do auxílio a caminhoneiros, da manutenção dos passes para os idosos continuarem se deslocando e da questão do gás. A população brasileira deve estar aplaudindo hoje esta iniciativa, e os deputados que realmente representam o interesse do povo brasileiro estarão a favor da votação desta PEC”, afirma.

A deputada lembra, ainda, que mesmo após uma crise mundial, guerra e inflação alta, o Governo, por meio de políticas públicas sérias, nunca deixou faltar alimento para os brasileiros.

“Durante todo esse período, o Brasil continua firme, forte, defendendo a sua nação. Em nem um dia de dificuldade tivemos a falta do alimento sagrado no prato do cidadão brasileiro. Por quê? Devido a políticas públicas sérias, conscientes, que realmente se preocupam com o presente e com o futuro da nossa nação, pontua.

Aline Sleutjes avalia como positivo o aumento do Auxílio Brasil e afirma que esse benefício é um bônus para ajudar as famílias que passam por dificuldades.

“Esse auxílio vai ajudar aquelas pessoas que neste momento estão em vulnerabilidade, em dificuldades. A diferença deste Governo é que esse auxílio não o proíbe, ou melhor, não o incentiva a não ir buscar um trabalho, a não ir buscar uma carteira de trabalho, a funcionalidade do trabalho diário. Esse auxílio é como um bônus, um plus, para ajudar aquelas famílias a terem algo mais”, esclarece.

A PEC 15/22 permite ao governo gastar por fora do teto de gastos mais R$ 41,25 bilhões até o fim do ano para aumentar benefícios sociais, conceder ajuda financeira a caminhoneiros e taxistas, ampliar a compra de alimentos para pessoas de baixa renda e diminuir tributos do etanol.

Nesta quarta-feira, os parlamentares rejeitaram todos os destaques apresentados na tentativa de alterar o texto-base da matéria. Já foi concluída a votação da matéria em 1º turno e os deputados devem analisar requerimento para dispensa do prazo de cinco sessões para a votação do 2º turno ainda hoje

Redação PROS na Câmara