Capitão Wagner liderou o PROS, defendeu o auxílio emergencial e apresentou propostas para combater o coronavírus

Outro destaque da atuação do parlamentar foi a aprovação do Projeto de Lei 1561/20, de sua autoria. A matéria cria a chamada “Loteria da Saúde”, que financia ações de combate à Covid-19.

05/01/2022 às 12:40:17 | 484 visualizações



Um dos representantes do PROS no Ceará, deputado Capitão Wagner (CE), foi o escolhido para liderar a bancada em 2021. Como líder, reafirmou o compromisso do partido com a redução dos tributos e a defesa dos menos favorecidos. O deputado assumiu também a liderança do bloco parlamentar formado por PSC, PROS e PTB.

Outra bandeira levantada pelo parlamentar foi a retomada do auxílio emergencial, que vigorou em 2020 com o valor de R$ 600 entre abril e agosto, e foi reduzido para R$ 300 em setembro por uma medida provisória.

Como relator, Capitão Wagner conseguiu a aprovação do Projeto de Lei 5222/20, que isenta de penalidade as infrações de trânsito cometidas por veículos de socorro, de polícia e bombeiros, de fiscalização e operação de trânsito. Também foi aprovado o seu parecer ao Projeto de Lei 5114/19, que cria o Dia Nacional da Criança Traqueostomizada, a ser comemorado anualmente em 18 de fevereiro.

Outro destaque da atuação do parlamentar foi a aprovação do Projeto de Lei 1561/20. A matéria, de sua autoria, autoriza o Poder Executivo a criar uma loteria chamada de “Loteria da Saúde” para financiar ações de combate à Covid-19. A matéria aguarda apreciação do Senado Federal.

Capitão Wagner também atuou apresentando propostas para diminuir os impactos causados pela pandemia. Propôs, por exemplo, a suspensão de parcelas de empréstimos dos programas de microcrédito produtivo e orientado (PL 980/21). Também é autor do texto que reduzia a zero as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidentes sobre o capacete Elmo (PL 742/21).

Em dezembro deixou a liderança do partido com a sensação de dever cumprido.

“Foi uma experiência gratificante e muito intensa, afinal estamos em um momento de pandemia. Liderei a bancada durante a transição entre o trabalho presencial e o remoto. Foi muito importante, durante este período, representar o partido nas reuniões e buscar o fortalecimento do PROS na Câmara dos Deputados”, declarou.

O deputado foi titular nas comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e a de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. Na Comissão Mista de Orçamento (CMO), atuou como suplente.

Redação PROS na Câmara