Weliton Prado comemora incorporação da quimioterapia oral para câncer de mama pelo SUS

“Muitas mulheres poderiam estar vivas se tivessem acesso a um tratamento adequado. Não podemos permitir que mais mulheres morram por falta de terapia adequada”, afirma o deputado e presidente da Comissão Especial de Combate ao câncer no Brasil (Cecâncer), Weliton Prado.

12/11/2021 às 13:36:07 | 146 visualizações



A Comissão Especial de Combate ao câncer no Brasil (Cecâncer) discutiu, na quinta-feira (11), o papel das políticas públicas no combate ao câncer de mama. Um dos temas debatidos foi a oferta de medicamentos modernos no tratamento do câncer, principalmente na rede pública.

Após pressão da Comissão, da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA), de entidades de combate ao câncer e dos pacientes oncológicos, a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) aprovou a incorporação de três quimioterapias orais para tratamento de pacientes com câncer de mama metastático no SUS.

O deputado federal Weliton Prado (MG), presidente da Cecâncer, já havia questionado a lentidão para que os tratamentos fossem aprovados e incluídos na lista do SUS.

“Essa pressão popular contribuiu para essa vitória e está fazendo a diferença na vida de milhares de pessoas. É fundamental ter novas tecnologias e medicamentos disponíveis. Muitas mulheres poderiam estar vivas e com suas famílias se tivessem acesso a um tratamento adequado. Isso é um crime. Não podemos permitir que mais mulheres morram por falta de terapia adequada. Vamos lutar para garantir a universalização dessas novas tecnologias para todos os assistidos pelo SUS”, comemorou o deputado.

Weliton Prado frisou, ainda, que novas tecnologias já estão disponíveis na rede privada de saúde, mas há quase 20 anos não são incorporados no SUS novos tratamentos para a forma metastática da doença, que corresponde a 70% dos casos registrados no país.

Redação PROS na Câmara