Capitão Wagner preside audiência que debate Segurança Pública Básica

“É um grande desafio unir todos esses profissionais de segurança pública em torno de uma pauta que é importante para eles e para o cidadão que está lá na ponta sofrendo com a violência”, afirma o autor do requerimento da audiência pública, deputado Capitão Wagner.

28/09/2021 às 18:59:22 | 142 visualizações

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO) realizou, nesta terça-feira (28), audiência pública para debater o tema “Segurança Pública Básica – Direito Social – Implementação do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP) com a Efetiva Participação dos Municípios no Combate à Criminalidade”. A reunião é resultado do requerimento do deputado Capitão Wagner (CE).

“É um grande desafio unir todos esses profissionais de segurança pública em torno de uma pauta que é importante para eles e para o cidadão que está lá na ponta sofrendo com essa violência. Tratamos de Segurança Pública Básica como responsabilidade também do município, com representantes das Polícias Civil e Militar e das Guardas Municipais de todo o Brasil”, afirma o deputado.

Capitão Wagner comparou, ainda, o alto índice de violência do Ceará com o de São Paulo.

“Eu sou do estado mais violento do país e é por conta disso que me dedico diariamente a encontrar soluções para o problema da violência. Dos 20 municípios mais tranquilos no país, 14 estão em São Paulo, isso é reflexo do investimento e da parceria com os municípios na segurança pública municipal”, ressalta.

O parlamentar indicou como convidados, os seguintes especialistas e representantes das principais entidades envolvidas no assunto da Segurança Pública Básica no País:

- Felipe Angelin, assessor de Advocacy do Instituto Sou da Paz;
- Fernando Lourenço da Silva Neto, inspetor da Guarda Civil Municipal de Macapá e da Comissão Norte e Nordeste de Guardas Municipais;
- Izdalfredo Ramatis Ismarin Bezerra de Menezes Nogueira, presidente da Associação Nacional de Altos Estudos em Guardas Municipais;
- Reinaldo Monteiro da Silva, presidente da Associação Nacional de Guardas Municipais do Brasil; e
- Rodolfo Laterza, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil.

No final da audiência, foi feito um minuto de silêncio em memória dos 300 guardas municipais que faleceram de Covid-19.

Redação PROS na Câmara