Projeto destina sobras de vacinas da Covid-19 para pessoas com idade a partir dos 18 anos

“Esta sobra, denominada popularmente de "xêpa da vacina" está sendo utilizada de forma indiscriminada sem qualquer tipo de norma. Precisamos estabelecer alguns parâmetros que permitam evitar o desperdício”, explica a autora da proposta, deputada Carla Dickson.

15/09/2021 às 15:11:19 | 125 visualizações

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 2985/21, de autoria da deputada Carla Dickson (RN), que estabelece normas para utilização das sobras da vacina contra a Covid-19.

“Esta sobra, denominada popularmente de "xêpa da vacina" está sendo utilizada de forma indiscriminada sem qualquer tipo de norma. Precisamos estabelecer alguns parâmetros que permitam evitar o desperdício dos imunizantes, porém seguindo a meta de vacinar os grupos mais prioritários primeiro. Regular essa rotina pode também favorecer o andamento do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação, já que esse adiantamento auxiliará na inclusão de mais grupos na programação”, explica a deputada.

A proposta determina que os estabelecimentos de aplicação da vacina destinem as sobras do dia aos cidadãos com idade a partir dos 18 anos que residam no entorno do estabelecimento. Por isso, os estabelecimentos de aplicação da vacina contra a Covid-19 deverão cadastrar os moradores do seu entorno para contato ao final do dia em caso de haver sobras da vacina.

“Existindo sobras do dia, serão contatados os cadastrados, seguindo ordem de prioridade estabelecida pela gestão local de saúde, dando o prazo máximo de 30 minutos para comparecimento ao local de aplicação”, afirma a deputada.

Ainda segundo o texto, os estabelecimentos de aplicação da vacina contra a Covid-19 deverão fazer o registro dos quantitativos de pessoas vacinadas com a sobra da vacina, assim como de eventuais descartes, de forma a permitir o acompanhamento do uso racional e adequado do aproveitamento dos imunizantes.

Redação PROS na Câmara