Acácio Favacho propõe projeto que prioriza profissionais de transporte na vacinação contra Covid-19

“A vacinação desse grupo tem o condão de evitar que o transporte de pessoas e cargas seja vetor de transmissão da doença, inclusive para regiões que possam já ter controlado o surto da Covid-19”, explica o autor da proposta, deputado Acácio Favacho.

22/04/2021 às 18:13:27 | 262 visualizações

O deputado Acácio Favacho (AP) apresentou, nesta quinta-feira (22), o Projeto de Lei 1506/21, que assegura prioridade de imunização contra a Covid-19 a trabalhadores dos transportes coletivo rodoviário; metroviário; aquaviário de cargas e passageiros; caminhoneiros e demais motoristas rodoviários de cargas.

“Estes profissionais estão cotidianamente expostos ao vírus e, pelo caráter de essencialidade no setor, não puderam em momento algum deixar de comparecer ao trabalho. Além disso, a vacinação desse grupo tem o condão de evitar que o transporte de pessoas e cargas seja vetor de transmissão da doença, inclusive para regiões que possam já ter controlado o surto da Covid-19”, explica o parlamentar.

Favacho destacou que a aprovação pelo Plenário da Câmara do Projeto de Lei 1011/20, que ampliou categorias prioritárias na vacinação, não conseguiu contemplar todos os profissionais que precisam ser vacinados antes da população em geral.

“Durante a tramitação desse projeto em Plenário não foi possível construir consenso em torno de todos os grupos que, justificadamente, pleiteavam a sua inclusão na lista de prioridades. Neste sentido, proponho este projeto com intuito de facilitar a aprovação desses trabalhadores de transporte na lista de prioridades”, afirma.

A sugestão de apresentar uma proposta a favor dessa classe surgiu em uma reunião com o vereador de Macapá André Lima, ex-presidente da Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá. Na ocasião, o vereador ressaltou a necessidade de inclusão desse público no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, justamente porque neste grupo inclui-se homens e mulheres que atuam como motoristas e cobradores em ônibus, algumas vezes lotados, ficando, desta forma, muito expostos à Covid-19.

O projeto contempla não apenas os trabalhadores do transporte coletivo rodoviário, mas abrange os demais profissionais do setor por entender que todos eles precisam constar no rol de prioridades de vacinação.

Redação PROS na Câmara