Plenário analisa projeto que inclui ano novo chinês em calendário nacional

“A inclusão das datas vem para valorizar, integrar as duas nações e divulgar a cultura chinesa no Brasil. Desde de 2009 a China vem sendo o nosso principal parceiro comercial”, explica a autora do projeto deputada Clarissa Garotinho.

22/02/2021 às 16:13:07 | Atualizada em 22/02/2021 às 16:14:02 | 312 visualizações

O Plenário da Câmara dos Deputados analisa nesta terça-feira (23) o requerimento de urgência para o Projeto de Lei 300/21 da deputada Clarissa Garotinho (RJ). A proposta pede a inclusão no calendário nacional de datas comemorativas do ano novo chinês, a ser celebrado, anualmente, em todo o País entre os dias entre 21 de janeiro e 20 de fevereiro.

“Um evento que vem aproximando culturalmente de forma significativa brasileiros e chineses é a celebração do Ano Novo Chinês. Talvez a maior comemoração em terras brasileiras seja na Praça da Liberdade em São Paulo onde o evento já está presente no calendário local, segundo relatos da própria Embaixada da China”, afirma a parlamentar.

Para Clarissa Garotinho, a aproximação entre Brasil e China vai muito além das relações econômicas.

"Percebemos a influência dos dois povos na arquitetura com destaque para o desenho ornamental e algumas técnicas de construção sobre pedras. Na Medicina, temos a presença da acupuntura, técnica chinesa milenar para o tratamento de diversas doenças. No campo das artes marciais temos o Tai Chi Chuan que fortalece o sistema esquelético, muscular, circulatório e endócrino", comenta.

Segundo a deputada, desde 2009 a China vem sendo o principal parceiro comercial do Brasil gerando resultados positivos para o país.

"De acordo com o Ministério da Economia, no ano de 2018, o comércio entre os dois países foi de US$ 98,6 bilhões, com superávit de US$ 29,2 bilhões para os brasileiros. Entendo que a inclusão das datas vem para valorizar, integrar as duas nações e divulgar a cultura chinesa no Brasil”, conclui.

Redação PROS na Câmara