Gastão Vieira propõe seminário sobre patrimônio cultural e sustentabilidade

O objetivo do seminário “Patrimônio Cultural e Sustentabilidade: Desafios e Perspectivas” é trazer uma efetiva contribuição para o desenvolvimento de políticas públicas de preservação do patrimônio histórico brasileiro.

04/06/2019 às 18:31:20 | 222 visualizações


A Comissão de Cultura da Câmara analisa nesta quarta-feira (5) o Requerimento 48/19 de autoria do deputado federal Gastão Vieira (MA) que propõe a realização de debate sobre a situação do patrimônio cultural brasileiro e a sua importância para o desenvolvimento sustentável do país. Oportunamente a comissão divulgará data do seminário “Patrimônio Cultural e Sustentabilidade: Desafios e Perspectivas”. 

“Entendemos que é preciso dotar esses bens culturais tombados de uma nova função social que os torne autossustentáveis, mediante novas políticas e linhas de financiamento, a fim de que os mesmos continuem a ser usufruídos pelas atuais e futuras gerações de brasileiros”, afirma Gastão Vieira.

Esse é o terceiro seminário proposto por Gastão Vieira. Em março, a Comissão de Educação debateu o “Financiamento da Educação Básica: qualidade, eficiência e equidade”. O parlamentar também organiza o seminário “O Futuro do Financiamento da Educação”, a ser realizado no dia 28 de agosto, para discutir a Proposta de Emenda à Constituição do Fundeb (PEC 15/15).

O acervo de bens culturais do Brasil é reconhecido internacionalmente e foi declarado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como Patrimônio Cultural da Humanidade. O Brasil possui, até a presente data, vinte e um bens materiais declarados Patrimônio Cultural da Humanidade e cinco bens imateriais incluídos na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, pela Unesco.

Programação: 
Seminário Patrimônio Cultural e Sustentabilidade: Desafios e Perspectivas

Mesa-Redonda (1) - A Preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro: Balanço e Perspectivas

1) Leonardo Barci Castriota, arquiteto, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e atual presidente do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (Icomos-Brasil). É membro do Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan);

2) Kátia Bogéa, presidente do Iphan, graduada em História pela Universidade Federal do Maranhão e especialista em historiografia Brasileira e Regional pela Universidade de São Paulo. Ocupou o cargo de superintendente do Iphan no Maranhão no período de 2003 2015. Durante sua gestão, juntamente com a equipe técnica da instituição, articulou o PAC Cidades Históricas junto à prefeitura de São Luís;


Mesa-Redonda (2): Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Urbano Sustentável: Um Diálogo Possível.

1) Ege Yildirim: PhD em planejamento urbano, especialista em preservação histórica/conservação do Patrimônio Cultural com ampla experiência internacional e exerce, atualmente, a função de Focal Point do Icomos internacional para os objetivos do desenvolvimento sustentável da ONU;

2) Silvio Zancheti: arquiteto e professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e professor-visitante da Universidade Mackenzie-SP. Realizou estudos avançados em Conservação Integrada e dirigiu projetos de restauração do Convento de São Francisco, em Olinda-PE e do Plano de Reabilitação Urbana do Centro Histórico do Recife-PE;

3) Flávio de Lemos Carsalade: arquiteto e urbanista, foi presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (1999-2002) e secretário Municipal da Administração Urbana Regional Pampulha da Prefeitura de Belo Horizonte (2004-2007). É professor da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), dedicando-se ao planejamento e projetos de edificação, urbanismo e patrimônio cultural;

4) Everaldo Costa (UnB): geógrafo com doutorado na área de preservação do patrimônio histórico pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente, é professor do Departamento de Geografia da Universidade de Brasília (UnB) e professor-visitante do Instituto de Geografia da Universidade Autônoma do México (UNAM), onde realiza estudos sobre a paisagem e o patrimônio cultural da América Latina e Caribe;

5) Washington Fajardo: arquiteto e urbanista em 1997 pela faculdade de Arquitetura e UFRJ. De 2009 a 2016, foi presidente do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro. É autor do projeto arquitetônico da Arena Carioca da Pavuna e criou o edital ProAPAC reconhecido em 2014 com o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade (Iphan). Desde 2015, é conselheiro no Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU-RJ);

Mesa-Redonda (3): Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Sustentável: Experiências Nacionais e Internacionais.

1) Toshiyuki Kono: presidente do Icomos formado pela Faculdade de Direito da Universidade de Kyoto, onde cursou também sua pós-graduação. No Icomos destacou-se no estudo das leis que protegem os tesouros culturais e também participou da elaboração da Convenção da Unesco para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial;

2) Luciane Gorgulho: economista, com mestrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), chefe do Departamento de Economia da Cultura do BNDES e responsável pelo programa de apoio ao patrimônio cultural brasileiro, bem como pelo desenvolvimento de novos modelos de sustentabilidade financeira de instituições culturais e museus;

3) Márcia Sant’Anna: professora e doutora da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (UFBA). É professora colaboradora do mestrado em Preservação do Patrimônio Cultural, realizado pelo Iphan e membro titular do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural. Dedica-se também a estudos sobre arquitetura popular e patrimônio imaterial;

4) Pesquisador convidado da Fundação Getúlio Vargas (FGV): Indicação do Deputado Gastão Vieira;

5) Robson Antônio de Almeida (Iphan): arquiteto e urbanista pela Universidade de Santa Catarina é diretor do Departamento de Projetos Especiais do IPHAN desde 2018. Trabalhou como arquiteto (2001-2003) e chefe da divisão técnica da superintendência do Iphan em Santa Catarina (2003-2005), foi coordenador Nacional Adjunto do Programa Monumenta/Iphan (2006–2012), coordenador Nacional do PAC Cidades Históricas/Ipahn (2011–2013) e diretor do PAC Cidades Históricas/Iphan (2013-2018);

Redação PROS na Câmara