Município de Rancho Alegre (PR) recebe indicação de R$ 184 mil do deputado Boca Aberta

As indicações pretendem atender as áreas da saúde, educação, desenvolvimento regional e cidadania do município paranaense de Rancho Alegre.

28/05/2019 às 21:43:19 | 254 visualizações


O deputado federal Boca Aberta (PR) protocolou nove requerimentos solicitando a liberação de recursos orçamentários para atender as demandas do município de Rancho Alegre, no Paraná. Os valores serão destinados para as áreas da saúde, educação, desenvolvimento regional e cidadania do município. 

Saúde

Os Requerimentos de Indicação (INC) 758, 760, 764 e 766 de 2019 são direcionados ao Ministério da Saúde, assim distribuídos: o requerimento 758/19 solicita R$ 1 mil para execução de ações de vigilância sanitária; o requerimento 760/19 solicita R$ 1.494,42 mil para recursos para vigilância em saúde; o requerimento 764/19 solicita R$ 30.475,68 mil para o Piso de Atenção Básica em Saúde; e o requerimento 766/19 solicita R$ 224,00 para apoio a implementação da rede cegonha.

Educação

Os Requerimentos de Indicação (INC) 761 e 762 de 2019 são direcionados ao Ministério da Educação, assim distribuídos: o requerimento 761/19 solicita R$ 6.200 mil para dinheiro direto na escola para a educação básica; e o requerimento 762/19 solicita R$ 7.580,80 mil para apoio a alimentação escolar na educação básica (PNAE).

Desenvolvimento Regional
O parlamentar solicitou por Requerimento de Indicação INC 765/19 ao Ministério do Desenvolvimento Regional a liberação de R$ 122.925 mil para o apoio a Política Nacional de Desenvolvimento Urbano.

Cidadania

Os Requerimentos de Indicação (INC) 759 e 763 de 2019 são direcionados ao Ministério da Cidadania, assim distribuídos: o requerimento 759/19 solicita R$ 1.430 mil para serviço de apoio a gestão descentralizada do programa Bolsa Família; e o requerimento 763/19 solicita R$ 12.506,67 mil para Ações de Proteção Social Básica.

Tramitação
Os Requerimentos de Indicação aguardam despacho do presidente da Câmara dos Deputados para seguirem para apreciação do Executivo.

 

Redação PROS na Câmara