Toninho Wandscheer comemora aprovação de R$ 49,5 mi para trecho Cascavel-Guaíra (BR 163)

Wandscheer, coordenador da Bancada do Paraná, agradeceu o empenho dos parlamentares.

09/11/2017 às 15:42


 

O Congresso Nacional atendeu o pedido da Bancada do Paraná e aprovou nesta quarta-feira (9) a liberação da suplementação orçamentária de R$ 49,5 mi para adequação do trecho rodoviário Cascavel-Guaíra, na BR 163, no estado do Paraná. O deputado Toninho Wandscheer (PROS-PR), coordenador na Câmara dos Deputados da Bancada do Paraná comemorou a aprovação.

“Esse foi um empenho de toda a Bancada Paranaense na Câmara. Nos reunimos diversas vezes com representantes dos ministérios envolvidos e levamos nossa demanda até o governo. Agora, podemos comemorar, mas sem perder o foco em relação às outras demandas urgentes da população do Paraná”, disse Wandscheer.

Em uma das últimas reuniões técnicas da Comissão Mista de Orçamento (CMO) Wandscheer, solicitou a inclusão na pauta do crédito da suplementação.

“Fizemos um apelo aos presidentes da CMO e do Senado Federal para que essa sessão conjunta do Congresso analisasse a matéria, pedido que foi atendido pelo presidente e demais parlamentares, possibilitando essa vitória para o povo paranaense”, disse.

Desde o início do ano, explica Wandscheer, a Bancada paranaense participou de reuniões técnicas no Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil com intuito de conseguir dinheiro suficiente para a continuidade das obras na rodovia.

“O trecho dessa rodovia é de fundamental importância para o nosso estado, como também para todo o Brasil, já que a região é responsável por boa parte do escoamento da produção agrícola do país. A obra parada, significaria um prejuízo incalculável para a receita do estado do Paraná, atingindo, ainda, milhares de trabalhadores e moradores que dependem da infraestrutura da rodovia”, disse o parlamentar.

O crédito suplementar, de autoria do Executivo, foi aberto no Orçamento Fiscal da União e está previsto no Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN 03/17). A matéria vai à sanção presidencial.

Redação/Pros na Câmara