Parlamentares repudiam rejeição pelo governo brasileiro de recomendação sobre família

O deputado Eros Biondini (Pros-MG) assinou o manifesto. Entenda.

13/09/2017 às 15:41:05 | 105 visualizações

O Brasil rejeitou recomendação do Vaticano que pedia a proteção dos nascituros e da "família formada por marido e mulher", parte da Revisão Periódica Universal do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Na tarde desta terça-feira (12), representantes das Frentes Parlamentares Católica e Evangélica da Câmara dos Deputados reagiram ao posicionamento adotado pelo governo brasileiro e muito menos explicado pelo Itamaraty.

“Por meio de um manifesto, iremos entregar uma carta de repúdio a tal posicionamento do nosso governo em desfavor da família na ONU. Entregaremos diretamente ao presidente da República, Michel Temer”, afirmou o deputado Eros Biondini, integrante da Frente Parlamentar Mista Católica Apostólica Romana e líder do PROS na Câmara.

Em relatório divulgado nesta segunda-feira (11), o governo brasileiro reagiu às recomendações feitas por países membros da ONU em sua revisão sobre direitos humanos, realizada a cada quatro anos e meio. O país aceitou todas, exceto quatro das 246 recomendações.

A do Vaticano, não acatada pelo governo brasileiro, era: "Continuar a proteger a família natural e o casamento, formado por marido e mulher, como a unidade fundamental da sociedade, e também os nascituros".

Com informações da Folha.

 

Redação PROS na Câmara

Sem tags