Ronaldo Fonseca está entre os parlamentares mais influentes do Congresso, aponta DIAP

O deputado é apontado como parlamentar em “ascensão”.

04/09/2017 às 16:48:04 | 42 visualizações

O ranking dos “cabeças” do Congresso Nacional e dos parlamentares em “ascensão”, divulgado anualmente pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), posicionou o deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF) como um dos mais influentes políticos no Congresso Nacional, figurando na lista de parlamentares em ascensão pelo Distrito Federal.

De acordo com a 24ª edição do estudo, que conta com publicação anual deste 1994, a pesquisa foi dividida em dois grupos. O primeiro, dos “cabeças” do Congresso Nacional, estão os 100 parlamentares que são protagonistas do processo legislativo. No outro, dos parlamentares em ascensão, estão os que, mesmo não fazendo parte do grupo dos 100 mais influentes, estão em plena ascensão.

“Enfim, é o parlamentar que, isoladamente ou em conjunto com outras forças, é capaz de criar seu papel e o contexto para desempenhá-lo”, diz o relatório que acompanha o ranking do DIAP.

Os “cabeças” do Congresso Nacional são, na definição do DIAP, aqueles parlamentares que “conseguem se diferenciar dos demais pelo exercício de todas ou algumas das qualidades e habilidades” apontadas pelo levantamento. Entre os atributos que caracterizam um protagonista do processo legislativo, o DIAP destaca a capacidade de conduzir debates, negociações, votações, articulações e formulações políticas e legislativas.

Em seu anexo, o estudo detalha ainda o ranking dos parlamentares em ascensão, do qual o deputado Ronaldo Fonseca faz parte. “Entende-se por parlamentar em “ascensão” aquele deputado ou senador que vem recebendo missões partidárias, políticas ou institucionais e se desincumbindo bem delas. Estão também nessa categoria os parlamentares que têm buscado abrir canais de interlocução, criando seus próprios espaços e se credenciando para o exercício de lideranças formais ou informais no âmbito do Parlamento”, aponta o DIAP.

A pesquisa inclui apenas os parlamentares que estavam no efetivo exercício do mandato no período de avaliação, correspondente ao período de fevereiro a julho de 2017. Entre os 100 parlamentares que comandam o processo decisório no Congresso, 60 são deputados e 40 são senadores.

Redação PROS na Câmara

Sem tags