Deputado Eros Biondini critica extinção de reserva nacional na Amazônia pelo governo federal

Eros Biondini participa de audiência pública no Senado Federal

29/08/2017 às 16:01:05 | 120 visualizações

O deputado Eros Biondini, líder do Pros na Câmara, participou nesta terça-feira (29) de audiência pública no Senado Federal em que criticou a atitude do governo federal em extinguir a Reserva Nacional do Cobre e associados (Renca), na região da Amazônia.

A audiência acontece na Comissão Mista Permanente de Mudanças Climáticas (CMMC), da qual Eros Biondini é membro. A audiência pública foi convocada para avaliar a implantação do novo Código Florestal e a implementação do Acordo de Paris.

Em seu pronunciamento, Eros Biondini leu a carta aberta do Bispo de Marabá (PA), Dom Vital Corbellini, sobre a possibilidade de aumento de conflitos e destruição do ecossistema devido à aprovação do decreto.

“O decreto 9.142 revoga decisões assumidas nos anos de 1984 e 1985 nas quais mantinham essas reservas fundamentais para a vida dos povos indígenas e à natureza em geral. Será preciso rever esse decreto”, diz a carta escrita por Corbellini.

O bispo aponta, além de graves ameaças à natureza, para a possibilidade do aumento da violência, como também do desmatamento da região.

“Certamente com a extinção da reserva haverá a explosão demográfica, a busca pelos tesouros naturais, o desmatamento continuará de uma forma descontrolada e também o aumento dos conflitos”, diz a carta.

Diante de todas as ameaças à região, Bispo Vital Corbellini aponta ainda que a região já enfrenta dificuldade e precisa de ajuda do restante do país, especialmente pelo momento em que o governo decide que a área venha a ser explorada por mineradoras.

“Estamos passando por um período de seca, calores intensos em nossa região do Pará, as chuvas estão escassas. O nível dos rios está baixo, de modo que é preocupante o modelo de desenvolvimento que está querendo se implantar nesta nossa região”.

Decreto

Na semana passada, o presidente da República, Michel Temer, editou decreto que extinguia a Reserva Nacional do Cobre e associados (Renca), na região da Amazônia. A preocupação de parlamentares e ambientalistas é a possibilidade de que a exploração atinja áreas de unidades de conservação, reservas ambientais estaduais e indígenas, além de outros problemas ligados à legalização da exploração mineral no local. 

Redação PROS na Câmara

Sem tags