Deputado Eros Biondini volta a criticar pouco investimento na recuperação de dependentes

Em novo pronunciamento no plenário da Câmara, o deputado voltou a criticar os poucos investimento feitos pelo Governo Federal na recuperação dos dependentes químicos.

06/07/2017 às 15:24


O deputado federal Eros Biondini (Pros-MG) realizou na manhã dessa quinta-feira (06), pronunciamento no Plenário da Câmara dos Deputados, em crítica aos investimentos realizados pelo Governo Federal na recuperação de dependentes químicos, ao longo dos anos. Segundo o deputado, desde que entrou na Câmara Federal, têm travado uma luta em favor de políticas públicas que acolham os dependentes químicos e sua reinserção na sociedade. Para Eros, essa seria uma das saídas mais eficazes para a diminuição nos altos índices de criminalidade, com reflexos também na saúde pública.

“Senhor presidente, há seis anos estou na Câmara dos Deputados. Um dos nossos primeiros gestos aqui foi instalar a Frente que acolhe e trabalha na recuperação dos dependentes químicos. Nós tínhamos uma proposta que era de que em médio prazo, através da recuperação e reinserção dos dependentes, nós teríamos uma diminuição da criminalidade. Porém, infelizmente os nossos governantes ainda não compreenderam que vale mais investir oitocentos, mil reais na recuperação de um jovem em seis meses, ao invés de depois ter que gastar cinco mil durante quatro anos com ele em uma penitenciária”.

 

 

No ano passado, o deputado já havia feito um alerta também no Plenário, sobre a situação que pouco mudou.

Ainda em seu pronunciamento, o líder do Pros fez questão de citar um exemplo da eficácia do trabalho de recuperação dos dependentes. Ele lembrou o caso da Secretária de Políticas sobre Drogas, do estado de Minas Gerais, Patrícia Magalhães, que foi dependente do crack por anos e hoje é considerada por profissionais da área, como uma das melhores gestoras do Brasil, no combate às drogas.

“Cito aqui Senhor Presidente, o caso da Secretaria de Políticas sobre Drogas de Minas Gerais, Patrícia Magalhães, que inclusive hoje faz aniversário. Nós encontramos a Patrícia viciada no Crack, morava em uma cracolândia em Minas Gerais, e através do nosso programa Mundo Novo sem Drogas e de um tratamento da Fazenda da Esperança, hoje ela tem a oportunidade de ocupar o cargo mais alto na política sobre drogas em Minas Gerais. Ou seja, nossa tese não está equivocada”.

Fonte: Assessoria do parlamentar

Redação/PROS na Câmara