Deputado George Hilton defende permanência de Educação Física na reforma do ensino médio

O deputado George Hilton (Pros-MG) é titular da Comissão Especial que irá proferir parecer sobre a Medida Provisória (MP) 746/16.

03/10/2016 às 22:26:00 | Atualizada em 03/10/2016 às 22:26:00 | 43 visualizações

O deputado George Hilton (Pros-MG) é o novo titular da Comissão Especial que irá proferir parecer sobre a Medida Provisória (MP) 746/16, que flexibiliza o currículo do ensino médio, ampliando progressivamente a jornada escolar para integral.

De acordo com as mais de 500 emendas protocoladas por parlamentares, o assunto que mais concentra pedidos é a retomada da obrigatoriedade das disciplinas educação física, artes, filosofia e sociologia nos currículos do ensino médio.

Dados do Diesporte – Diagnóstico do Esporte no Brasil, apresentados por George Hilton no período em que foi Ministro do Esporte, apontam que 45,9% da população é sedentária, ou seja, não pratica nenhuma atividade física.

“A pratica esportiva começa com a cultura escolar, nas aulas de educação física, dos jogos estudantis, da capacidade de se exercitar e usar desta atividade como um meio de interação social. O Diesporte aponta que a construção de políticas públicas é o caminho por onde o brasileiro inicia sua pratica esportiva. O maior grupo, 48%, começa na escola, com orientação de um professor. Esta pratica prevalece nas séries iniciais, porém com a ausência de atividades físicas dentro da escola no final da adolescência, a probabilidade de esta jovem se tornar um adulto sedentário é bem maior”, disse Hilton.

Inicialmente, na proposta de medida provisória apresentada pelo governo à imprensa na quinta-feira (22), as disciplinas como artes, educação física, filosofia e sociologia deixavam de ser obrigatórias. Contudo, o governo voltou atrás e editou, no dia seguinte, a MP mantendo estas disciplinas no currículo até a aprovação posterior pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Esporte é vida. É fundamental para a prevenção de doenças, é estimulo para a saúde mental, para uma vida saudável e de bem-estar”, defendeu Hilton.

Tramitação

A comissão especial mista de deputados e senadores que analisa a matéria não tem prazo para concluir os trabalhos, mas MP começa a trancar a pauta da Casa onde estiver no dia 7 de novembro. A proposta recebeu ao todo 568 emendas de parlamentares.

Com informações da assessoria de comunicação do parlamentar. 

Redação PROS na Câmara

Sem tags