Deputado Ronaldo Fonseca defende pluralismo partidário no combate à corrupção

O parlamentar é membro titular da comissão especial que analisa o projeto que estabelece medidas de combate à corrupção.

08/09/2016 às 18:13:00 | 37 visualizações

Deputado Ronaldo Fonseca defende pluralismo partidário no combate à corrupção

“Observem que o juiz Sérgio Moro está usando as leis que nós temos, e as suas decisões passam pelo crivo do STF e do STJ e, portanto, não estão sendo reformuladas”, disse o deputado Ronaldo Fonseca, líder do Pros na Câmara.

O parlamentar é membro titular da comissão especial que analisa o projeto que estabelece medidas de combate à corrupção (PL 4850/16).

Confira, abaixo, a matéria completa.

Da assessoria do parlamentar

O deputado federal Ronaldo Fonseca (DF), líder do Pros, participou na Câmara dos Deputado de audiência pública realizada pela Comissão Especial que analisa o projeto que estabelece medidas de combate à corrupção (PL 4850/16).

O parlamentar ressaltou o trabalho do juiz Sérgio Moro no combate à corrupção.

“Observem que o juiz Sérgio Moro está usando as leis que nós temos, e as suas decisões passam pelo crivo do STF e do STJ e não estão sendo reformuladas. (…) No Brasil não faltam leis, o que falta é efetividade na aplicação da lei”, afirmou.

Para o deputado, o combate à corrupção está além do sistema legal, por se tratar de uma questão de integridade, e defende que as escolas possam contribuir, justamente na formação dos futuros cidadãos.

“Não teremos cadeia suficiente para prender os corruptos se não curarmos o cidadão, do germe da corrupção, no nascedouro, ainda criança. As nossas escolas podem contribuir e muito para combater a corrupção”, defendeu.

A pluralidade partidária, de acordo com o parlamentar, ajuda no fortalecimento da democracia e auxilia no combate à corrupção, na medida em que tira das mãos dos grandes partidos o monopólio político. “Quais são os partidos que estão hoje na berlinda da corrupção? Os grandes. Porque esses grandes têm poder”, disse.

De acordo com Fonseca, o País precisa de uma reforma política que corrija a presença dos partidos no parlamento e na vida das pessoas, criando cláusulas de barreira e de desempenho, e punindo o partido que se envolver em corrupção.

“Como é que pode um partido político que usa seu CNPJ para a corrupção continuar recebendo fundo partidário e continuar apto para participar das eleições? Isso é absurdo!”, disse Fonseca.

Em relação ao número de partidos, Fonseca defendeu a pluralidade partidária. “Eu tenho medo desse discurso de que precisamos ter cinco partidos no Brasil para dominar a política. Eu acho que devemos buscar a pluralidade partidária, como está na Constituição, com cláusula de barreira e cláusula de desempenho”, afirmou.

 

Redação PROS na Câmara

Sem tags