Ronaldo Fonseca rebate clima de ruptura constitucional na Câmara

De acordo com a atual Constituição, o vice-presidente substituirá a presidente, no caso de impedimento, e lhe sucederá, no de vaga

19/04/2016 às 16:33:00 | 234 visualizações

Após a sessão da Câmara dos Deputados, no último domingo (17), que autorizou o Senado Federal a julgar a presidente da República Dilma Rousseff por crime de responsabilidade, o líder do Pros, deputado Ronaldo Fonseca (DF), disse que a Casa vive um “certo clima de ruptura constitucional”.

“Hoje o vice-presidente chama-se Michel Temer. O que se comenta é que ele está praticando um golpe, enquanto a nossa Constituição prevê que o vice pode assumir o cargo de presidente, dentro da legalidade. Se vagar a presidência, estaremos, sim, procurando o vice-presidente para que, constitucionalmente, assuma seu papel, cujo mandato foi dado pelo povo, durante as eleições”, disse Fonseca.

As declarações foram feitas após críticas de jornais, as quais acusaram a Câmara dos Deputados de ajudar o atual vice-presidente da República, Michel Temer, a “usurpar as funções de presidente da República, sem a devida autorização legal”, explicou Fonseca ao folhear a Constituição Federal do Brasil na tribuna do Plenário da Casa.

De acordo com a atual Constituição, o vice-presidente substituirá a presidente, no caso de impedimento, e lhe sucederá, no de vaga.

A denúncia por crime de responsabilidade da presidente Dilma Rousseff aprovada pela Câmara dos Deputados chegou ontem (19) ao Senado Federal. 

Redação PROS na Câmara

Sem tags