“Nós precisamos resgatar o País das crises moral e ética; votarei sim, pelo impeachment”, diz Bornier

“Não vou compactuar com esse governo corrupto, criando vários decretos não autorizados. Não irei compactuar com os males desse governo e com os vícios perpetuados por essa política ultrapassada”, disse

16/04/2016 às 14:09:00 | 237 visualizações

“Essa é uma semana história, de decisões. A nossa juventude fará a diferença em nosso País. Quero aqui bater no peito para dizer que não estou preso a este governo e que tenho liberdade para votar, com a minha população, com os meus eleitores”, disse Felipe Bornier (Pros-RJ) no início de seu fala, na sessão que analisa o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, neste sábado (16), na Câmara dos Deputados.

“Não vou compactuar com esse governo corrupto, criando vários decretos não autorizados. Não irei compactuar com os males desse governo e com os vícios perpetuados por essa política ultrapassada”, disse o congressista.

Bornier ressaltou que seu mandado pertence ao povo e que não irá decepcionar seus eleitores. “Não irei decepcionar meu município de Nova Iguaçu e nem meu estado do Rio de Janeiro. O que está acontecendo, neste momento, é um balcão de negócios entre o governo e alguns políticos. Não podemos compactuar com isso”, ressaltou.

O parlamentar fez questão de ressaltar o eleitor jovem, público com o qual o deputado sempre contou em sua jornada parlamentar e em projetos na Casa, à frente da 2º secretaria da Mesa. “A juventude tem esse papel de mudança, e eu não irei aceitar essa crise econômica e uma inflação descontrolada. A estima do povo brasileiro está baixa”.

E finalizou ressaltando seu posicionamento. “Eu já tenho minha decisão, conscientemente, pensada. Eu quero o impeachment já! Que tipo de direcionamento eu gostaria de dar à juventude? Temos que dar exemplo. Eu tenho um sonho, e vamos, sim, resgatar esse País. Vamos construir e redirecioná-lo. Eu amo este País e por ele vou horar meu voto”. 

Redação PROS na Câmara

Sem tags