Supremo decide manter ordem de votação estabelecida pela Câmara

Ficou mantida, portanto, o critério adotado no início da tarde de quinta-feira, na qual a Mesa Diretora da Câmara anunciou que os deputados serão chamados começando por um estado da Região Norte e, em alternância, seguido por um estado da Região Sul

15/04/2016 às 10:47:00 | 281 visualizações

O Supremo Tribunal Federal (STF), pelo voto de cinco ministros, indeferiu na noite de quinta-feira (14) a liminar de deputados que pretendia alterar a decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, sobre o procedimento de votação por chamada de parlamentares na votação do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Ficou mantida, portanto, o critério adotado no início da tarde de quinta-feira, na qual a Mesa Diretora da Câmara anunciou que os deputados serão chamados para declarar oralmente seus votos a favor ou contra o pedido de impeachment, começando por um estado da Região Norte e, em alternância, seguido por um estado da Região Sul, continuando-se assim, sucessivamente, passando pelos demais estados.

A ordem de chamada dos estados será a seguinte:

Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Amapá, Pará, Paraná, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rondônia, Goiás, Distrito Federal, Acre, Tocantins, Mato Grosso, São Paulo, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Piauí, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Sergipe e Alagoas.

Dentro de cada estado, a chamada de deputados será feita por ordem alfabética.

Nova mudança

Como anunciado por diversos meio de comunicação, atualizamos a notícia publicada no dia 13, na página da Liderança do Pros, na qual Eduardo Cunha anunciou que a votação se daria com a chamada de parlamentares da região sul. A decisão, no entanto, foi alterada horas depois para estabelecer que a chamada de parlamentares se iniciasse pelo norte, a qual foi mantida na decisão de ontem pelo Plenário do STF, como noticiado acima.  

 

Redação PROS na Câmara

Sem tags