Toninho Wandscheer diz não haver elementos claros para impeachment

Na opinião de Wandscheer, não há legalidade no processo instaurado, pois não há crime de responsabilidade denunciado

05/04/2016 às 12:52:00 | 386 visualizações

Acompanhando o entendimento de José Eduardo Cardozo, advogado-geral da União e responsável por apresentar na última segunda-feira (4) a defesa da presidente Dilma Rousseff na comissão especial que analisa o pedido de impeachment, o deputado Toninho Wandscheer (Pros-PR) disse que, até momento, não há elementos claros que justifiquem o impedimento de Dilma.

Na opinião de Wandscheer, não há legalidade no processo instaurado, pois não há crime de responsabilidade denunciado.  “Até a hora do voto, não sabemos o que vai acontecer. Sempre afirmei que se aparecer uma acusação contra a presidente, que mereça o impeachment, posso mudar meu voto. Por enquanto, não”, afirmou.

José Eduardo Cardozo afirmou que a defesa, que também foi entregue por escrito em documento com mais de 200 páginas, está baseada em apenas dois pontos: as pedaladas fiscais e os seis decretos que abrem créditos orçamentários. Isso porque, segundo o ministro, a denúncia foi recebida parcialmente e em relação a fatos ocorridos em 2015.

Cardozo negou a existência de operações de crédito entre a União e bancos públicos nos repasses de recursos a programas sociais, e ressaltou que a presidente Dilma não atuou diretamente no processo. A ação direta de um presidente da República, de acordo com Cardozo, é um dos requisitos constitucionais para ensejar um impeachment.

 

Redação PROS na Câmara

Sem tags